NovAmérica

Faça a Diferença

Uma grande conquista

Filtros e o Meio Ambiente Foram 25 anos fumando 30 cigarros por dia. Uma rotina baseada no ato de fumar. Acordava, acendia um cigarro, tomava um cafezinho. Pautava as paradas no trabalho para sair e fumar. Saía de fininho das rodas de conversa para acender um. Nas viagens, a cada 100 quilômetros era uma parada. Nos dias de chuva, fumava ainda mais rápido, para não se molhar tanto.

Até que um dia, em uma consulta de rotina, o cardiologista alertou: a coisa vai ficar séria se você não parar de fumar agora mesmo, Marco. Seus níveis de gás carbônico no pulmão estão muito elevados e o de oxigênio reduzidos, bradou o médico.

Ele tinha duas escolhas: dar de ombros para o médico, como já tinha feito em outras oportunidades ou dar o grande passo de sua vida. E ele decidiu. A partir do momento que entendeu os riscos que o cigarro estava trazendo a sua vida, parou de fumar no mesmo instante.

Assim, de uma hora para outra, jogou os maços de cigarro no lixo. Sua motivação? A vontade de ser mais saudável e a reflexão sobre seu filho único. O garoto, que estava prestes a completar 18 anos, havia saído de casa para estudar em outra cidade. Se ficar longe do meu filho, que é o que eu tenho de mais precioso, eu estou conseguindo. Claro que consigo ficar sem cigarro.

O primeiro dia foi o mais difícil. O segundo, um pouquinho menos. O terceiro, um tiquinho menos. E assim foi indo. Para ajudar na sua luta, Rantin usou a força do pensamento: Eu não contava 1 semana sem cigarro. Falava 7 dias. Não eram 2 meses, eram 60 dias. Assim, o número era maior e eu me motivava a continuar, já que havia conseguido tanto até então, contou sorrindo orgulhoso. 

Outra técnica que ele usou: nos primeiros dias, assim que a vontade de fumar batia, ele olhava para algum objeto e tentava imaginar como ele tinha sido construído, com que materiais, quanto tempo demorou. Assim, desviava o pensamento do desejo do cigarro. 

E assim o tempo passou. Já são 3 anos sem cigarro e com mais disposição, paladar, olfato, fôlego e uma outra vitória: a esposa, Rosely, que também deixou de fumar um ano depois de sua parada. Se Rantin está feliz? A resposta dele é direta: Se eu consegui isso, consigo qualquer coisa na vida!. Não temos dúvida, Rantin!

MARCO ANTONIO RANTIN
Supervisor de Operações Agrícolas
Unidade Tarumã/SP
20 anos de Novamérica
CPF Inválido
Endereço não encontrado para o CEP