NovAmérica

Conquistas

História de trabalho e conquistas

A família Rezende Barbosa, acionista do Grupo NovAmérica, sempre foi ligada à agricultura. Sua origem é a cidade de Tebas de Leopoldina, em Minas Gerais, onde produzia café. Saíram de lá no século XIX e foram para o Oeste do Estado de São Paulo, no município de Cravinhos, onde cultivaram algodão e continuaram com a cultura de café na Fazenda Estrela d’Oeste na cidade de São Simão, com 450 alqueires.

Após a morte de seu marido Eugênio de Rezende Barbosa, com espírito empresarial e grande capacidade administrativa, Dona Olga Ottoni de Rezende Barbosa assumiu a administração das fazendas, dirigiu e orientou o trabalho no campo, ao lado de seu irmão Nelson Ottoni de Rezende e de seu filho Renato de Rezende Barbos.

Com o crescimento dos negócios e com o intuito de manter a empresa familiar em expansão, foi criada a Companhia Agrícola Rezende para administrar as terras da família. Em 1944, Renato de Rezende Barbosa adquiriu a Fazenda Nova América, na cidade de Assis, onde foi instalada a primeira usina de açúcar e álcool do Vale do Paranapanema.

Os negócios cresceram significativamente com a instalação da Usina Nova América com a fabricação de açúcar cristal e álcool, em 1947, e compra da Usina Maracaí/SP, em 1957. Dois anos depois, Renato de Rezende Barbosa fundou a Coopersucar (Cooperativa de Produtores de Cana, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo), com os usineiros Maurílio Biaggi e Paulo Reis Magalhães, porém em meados dos anos 70 a NovAmérica dissociou-se da cooperativa.

Roberto de Rezende Barbosa assume a direção da empresa em 1970, investindo em novas tecnologias impulsionado pela criação do Programa Nacional do Álcool – Proálcool (1975). Em seguida adquire a Guacho Agropecuária (1981) devido à futura construção da Rodovia Castelo Branco para o cultivo da cana-de-açúcar e, depois, a transição para o cultivo da laranja.

Já estruturada com o açúcar Cristal, a NovAmérica cria o açúcar refinado Dolce para São Paulo e região Sul do país, em 1993. Com o passar dos anos, sua preocupação com a responsabilidade socioambiental cresceu em paralelo com a expansão dos negócios e, em 1995, cria a Fundação Rezende Barbosa para dar suporte às outras empresas do Grupo que, a partir de 2004, passou a se chamar Fundação NovAmérica.

De 1996 a 2006, a NovAmérica conquistou o certificado ISO9002 na produção e refinação de açúcares; fundou o terminal exportador e importador para embarque marítimo (Teaçu Armazéns Gerais); a área comercial é transferida para São Paulo; a empresa estrutura o projeto de gestão de relacionamento com o cliente; adquire a marca União (2005); anuncia o projeto de Agroenergia em Caarapó/MS (2006), inaugura o Espaço União em São Paulo/SP e faz a aquisição da Destilaria Paraguaçu Ltda.

Depois de todas estas conquistas, em 2008, a NovAmérica sente a necessidade de inovar e lança a nova logomarca corporativa que dará um novo rumo à história da família e da empresa.

Memorial Rezende Barbosa

O Memorial Rezende Barbosa foi criado por iniciativa da família Rezende Barbosa, no ano de 2004, para registrar sua história familiar e do fundador do Grupo Nova América, Renato de Rezende Barbosa. Para marcar o local do início dessa história, Fazenda Nova América na cidade de Tarumã, construiu-se uma praça de convivência que abrigou uma escultura em homenagem ao patriarca e, na cidade de Assis, instalou-se um Espaço Expositivo e um Centro de Documentação em uma antiga residência da família.

A missão do Memorial é “Preservar, valorizar e divulgar a memória da família Rezende Barbosa e promover o desenvolvimento do patrimônio cultural da comunidade”. As exposições e os eventos culturais configuram o papel do Memorial de disseminação cultural, aliado a divulgação da memória contida no Centro de Documentação.

O acervo do Centro de Documentação foi constituído pela documentação pessoal de Renato de Rezende Barbosa, com cerca de quinze mil itens, composto por fotografias, dispositivos, filmes, vídeos, correspondências pessoais e originadas das atividades exercidas, cujos conteúdos por meio da história pessoal, registram a ocupação e o desenvolvimento da agroindústria dessa região do Estado de São Paulo.

Dessa forma, a partir da criação e da missão do Memorial foram estabelecidas as políticas de tratamento técnico do Centro de Documentação, das Exposições e da Ação Cultural. A estratégia de ação cultural foi o meio pelo qual o Memorial utilizou-se para divulgar a memória (administrada pelo Centro de Documentação). Sendo que, a ação cultural possibilita uma relação criativa e vivencial com essa memória.

As exposições e os eventos culturais configuram o papel do Memorial de disseminação cultural, aliado a divulgação da memória contida no Centro de Documentação.

Segundo a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, o Memorial Rezende Barbosa está dentre os nove espaços que possuem condições técnicas adequadas para receber obras de arte como, por exemplo, da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Tanto que o espaço expositivo foi inaugurado em março de 2007 com a exposição Paisagens do Acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Na sequência foram montadas as exposições: O Jogo da Memória (exposição com o acervo do Memorial Rezende Barbosa - 2007); Presépios Brasileiros, Arte e Fé (artista Jone Cezar de Araújo - 2007); Tesouro Escondido (Galeria Brasiliana - 2008); Gravura de Segall: processos poéticos (Museu Lasar Segall - 2008); Passado a Limpo: história da higiene pessoal no Brasil (Secretaria de Estado da Cultura - 2009); Engenho e Arte: seleção de gravuras da Pinacoteca do Estado de São Paulo (Secretaria de Estado da Cultura - 2009); Um Acervo em Preto e Branco – Fotógrafos Paulistas na Pinacoteca do Estado de São Paulo (Secretaria de Estado da Cultura - 2010); Eu tenho um sonho – De King a Obama – a saga negra do norte (Secretaria de Estado da Cultura – 2010); Uma Outra Cidade (Secretaria de Estado de Cultura – 2011).

O serviço educativo tem como proposta a parceria com as escolas estaduais, municipais e privadas, proporcionando a interdisciplinaridade e a possibilidade de leituras diversas. Entretanto, disponibilizamos no horário de visitação espontânea um educador para responder aos questionamentos da comunidade. Por meio de atividades sensoriais e criativas, busca-se a interatividade com as obras e o desenvolvimento do imaginário.

Os professores participam de palestras e oficinas com temas diversos com o objetivo de aperfeiçoamento, capacitação e valorização dos profissionais, como Análise e Interpretação da Pintura, Arte Popular, oficina de Presépios, oficina de gravura e educação em Museus, entre outros.

O Memorial firmou em 2009, parceira com a Secretaria Estadual de Cultura, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM), para receber exposições itinerantes e passou a receber duas exposições por ano, uma em cada semestre, e ainda, aconteceu em seu espaço oficinas de capacitação para profissionais de museus, sendo elas: Elaboração de Projetos Culturais e Lei de Incentivo Cultural Estadual (PROAC).

O Memorial Rezende Barbosa busca garantir o acesso cultural a todos por meio de exposições de arte com entrada gratuita ao público da cidade e região, sobretudo, ao público escolar. A ação educativa tenta demonstrar aos alunos que eles são parte integrante e ativa de um processo histórico e cultural, multiplicadores das vivências culturais.

CPF Inválido
Endereço não encontrado para o CEP